segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Ainda acerca de Berlusconi

A Itália está-se a deixar levar por um caminho perigoso, numas mãos tentaculares, onde o poder judicial sofre ataques sucessivos por parte do executivo. Isto é sintoma de que algo está mal no Estado de Direito. O poder judicial é o primeiro alvo a abater quando se tenta usufruir dos poderes do Estado para benefício próprio, porque um dia há-de-se dar a socada fatal nas leis fundamentais que vigoram. Aí só restarão os Tribunais e a sua independência. Até lá, Berlusconi ainda vive num país democrático, cheio de tradições, catalogado de civilizado, onde, in extremis, também acontecem coisas parecidas aos Parlamentos coreanos ou às conferências de Bush. O monstro a-democrático tem poder económico e poder político. A partir daí é tudo facilmente apetecível pelo crer que todo o querer se consegue. Não consigo sentir compaixão.

Aconselho o artigo No-B Day, no Caderno, onde Saramago, entre outras coisas, diz:
Com a sua história, a sua cultura, a sua inegável grandeza, Itália não merece o destino que Berlusconi lhe traçou com criminosa frieza e sem o menor vestígio de pudor político, sem o mais elementar sentimento de vergonha própria. Quero pensar que a gigantesca manifestação contra a “coisa” Berlusconi (...)se converterá no primeiro passo para a libertação e a regeneração de Itália. Para isso não são necessárias armas, bastam os votos. Ponho em vós toda a minha esperança.

Sem mais,
Luís Gonçalves Ferreira

2 comentários:

Marco A. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marco A. disse...

Já é fato corriqueiro os escândalos em que Berlusconi se envolve, desde fotos, à palavras mau colocadas etc. Acredito que a Itália não mereça tal destino, parabéns pelo post e indicação da leitura de Saramago.

Abraços Marco