segunda-feira, 22 de março de 2010

Quero querer.

Foi por um crepúsculo de uma tímida Primavera que eu parti na tua viagem. Passeávamos, ebriamente entontecidos ainda, sobre as flores pisadas e o vago sussurro do jardim. Nas clareiras, inesperadamente surgidas no acaso do nosso caminho, o luar fazia-as lagos e as margens, emaranhadas de ramos, eram mais noite que a própria noite. Foi então que a brisa me levou os múrmurios hesitantes e que a tua boca me calou. Faláramos de coisas impossíveis; e as nossas vozes tornaram-se parte da noite, do luar e do jardim. Ouvíamo-las como se fossem de outros: outros que não temem amar. Perguntaste-me com um roçar pelo meu coração o amanhã - eu não sei o que há à tua volta que se fecha e se abre; apenas há qualquer coisa em mim que compreende que a voz da tua alma é mais profunda que todos os rios - e aí, eu acreditei.

Como não te sonhar? Como não te querer se só tu és digno de o ser? Se estou prisioneira nos teus anéis, serás refém moribundo dos meus braços. Serás quem eu quiser. Farei de ti um ornamento da minha emoção prostrado onde eu quero, e como quero, dentro de mim. Não sei mesmo se já não te amei, numa vaguez onde cuja saudade esta minha gula por ti talvez seja. Talvez sejas uma saudade minha, corpo de ausência. Se assim for, trazes contigo a amargura do passado - (recordá-lo é voltá-lo presente) -, e torna-lo doce.


Vives em mim, portanto não tardes a vir buscar-te. És um mero corpo vagueante à minha presença quando comigo não estás. Não me olhas: vês-me vendo-te. Faz-me fraca; faz-te assim. Finca a sensação translata de felicidade insistente - que só de ti emana - nesta singela porta. Deixa-a ficar: não te esvaias com ela. Opõe-te à sua esperada partida com a manhã que aí vem a despertar...


Dás-me algo mais que fugir.
Quero ficar até à ùltima aurora a desenhar-te por palavras e magia.
Mais do que te quero, não páro de te querer. Quero querer.

9 comentários:

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Isto está a bater muito forte. Andamos todos aos zing-zag. Meu Deus.
Eu adorei isto. É este o teu melhor estilo. E é raro. Já te disse: HOME' escreve mais assim.

Beijinho ENORME!

Nádia Dias disse...

É DA PRIMAVERA! :D As palavras ficam como pedras no meu coração ;) *

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Eu sou a tua Primavera, confessa lá.

Nádia Dias disse...

Pronto, vá lá, és uma das minhas andorinhas :D

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Não sei se o estatuto da andorinha me cativa, se bem que ser um pássaro viajado, inteligente, intuitivo e bonito tem tudo que ver comigo. Pronto, eu sou a tua andorinha. Mas shiu, não sou pássaro de mais nenhuma estação. CHEGOU A PRIMAVERA! Isto é mesmo brutal.

Anónimo disse...

WTF?! Tanta inspiração e eu não sei de nada? Quando te apanhar não me escapas!! =D

Mary*

Luís Gonçalves Ferreira disse...

LOL

Anónimo disse...

Sem duvida alguma um dos textos mais bonitos que li. Belissimo:) *

Nádia Dias disse...

Menina, isto é a descrição de um sonho. Acho que era de muito mau gosto vir paqui fazer declarações de amor :D *