domingo, 26 de julho de 2009

Para ser grande, sê inteiro

Para ser grande, sê inteiro: nada
Teu exagera ou exclui.
Sê todo em cada coisa. Põe quanto és
No mínimo que fazes.
Assim em cada lago a lua toda
Brilha, porque alta vive
Ricardo Reis
Esta foi a forma como decidi iniciar a minha caminhada neste "Piquenique das Letras" , utilizando as palavras, ou melhor, a obra de arte que nos foi deixada por Ricardo Reis, um dos heterónimos de um poeta que sobrevive ao longo de gerações: Fernando Pessoa.
Este poema, desconhecido pela maioria dos olhares que perpassam a obra de Pessoa, não é mais do que uma filosofia de vida, uma maneira de enfrentar a realidade: para sermos grandes temos que ser inteiros, sem deturpações ou fingimentos descabidos que nos tornam em algo de estranho a nós mesmos, não podemos esquecer o que somos, como somos e o que queremos ser; não podemos deixar na obscuridade do nosso inconsciente aquilo que nos caracteriza. Podemos ser diferentes, mas a grandeza atinge-se quando em cada momento da nossa vida tomamos consciência da nossa essência e a imprimimos na realidade, transformando-a, adquirindo-a, tornando-a em algo de original, de nosso.
É uma honra partilhar os meus pensamentos convosco, espero que apreciem este "Piquenique das Letras".
Cumprimentos amigos,

2 comentários:

Catarina disse...

É uma honra poder contar com os teus pensamentos por cá, Ana!

:)

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Já te disse: Tem muito sumo, muita substância e Fernando Pessoa. Tudo dá um belo texto.

Parabéns Rita (gosto mais de te chamar assim, já sabes).

Beijaça@