terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Rigor Mortis

O amor é morto.
A esperança é morta.
A fé é morta.
A caridade é morta.
A prudência é morta.
A gratidão é morta.
A fortaleza é morta.
A paixão é morta.
A temperança é morta.
A alma é morta.
A vida é morta.

Calou-se a vida,
Porque lhe sepultaram o corpo.
Apagou-se a chama,
Porque a terra lhe cortou o ar.
Estupidificou-se a existência,
Porque se lhe cortaram as vísceras.

Perpetuamente,
Ser sem jamais poder ser.
Definitivamente,
Um mero ensaio sem pausa, nem refrão.
Paulatinamente,
Corpo que se espelha em imagens com apagão.

Sem alma,
A vida é morta.

Toquem os sinos a defunto,
Quando a vida se transformar em nada,
Em simples corpo sem alma,
Sem Existência nem Vivência
Nem a Consciência
Que nem viver se sabe viver.

A vida é morta
Quando tudo apodrece,
De dentro para fora e
De fora para dentro, e,
Depois, enterra-se, morta.

Não há forças para Renascer.

A vida é morta quando
A existência e a felicidade
E a caracterização e o sorriso
E o humor e a tristeza
Estiverem amarrados a um cubículo qualquer.

A vida é morta.
Primeiro em pé.
A seguir no chão. Depois,
Em Rigor Mortis.

Toquem os sinos a defunto!
Há milhões de vidas mortas!
Rigor Mortis

Luís Gonçalves Ferreira
1 de Set. de 2009 

5 comentários:

Anónimo disse...

Carago Luís já chega a nossa vida académica!
Alguma alegria para estes lados requere-se.
É TGDC que lhe está a despertar a essa atitude dramática e pessimista da vida?

p.s: acabei de saber que vou ter de estudar mais umas quantas pags p aquela dita cadeira. Há o filme o "Homem em fúria". agora imagina a "Mulher em fúria"... Sou eu!!!

Dra Cromo Filosofica (como já era de prever né?)

kisses

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Foi escrito em 1 de Setembro de 2009. Naquela altura ainda nem sabia o que era TGDC :)
Beijo Beijo

Anónimo disse...

Se não se importarem (mas só se não se importarem mesmo mesmo), alguém se pode dignar a dizer-me o programa para sexta feira? Estou à beira duma crise de histerismo: ou me dão atenção já, ou provoco efeitos irremediaveis no nosso pseudo-casamento poligamico e vou direitinha pas minhas respectivas (que isto agora com a nova lei é uma beleza) mal saia do teste dessa maldita shit que vocês tanto falam.
Eu hoje estou brava, MUITO BRAVA.

PS - Genial Luís. Já te disse hoje que o meu amor por ti me preocupa?

rita disse...

pessimista mas brilhante, gostei :)

Luís Gonçalves Ferreira disse...

Rita, obrigado e sê bem-vinda aqui ao Piquenique. :) Beijo